quinta-feira, 5 de novembro de 2020

O SEO Não é a Única Forma de Gerar Tráfego. Veja Estas 6 Estratégias Alternativas.

O SEO Não é a Única Forma de Gerar Tráfego. Veja Estas 6 Estratégias Alternativas.

Como profissionais de marketing, nós investimos muito do nosso tempo e energia em SEO.

Até porque, considerando que o Google recebe mais de 66.000 buscas a cada segundo, seria tolice da nossa parte não fazer isso.

Mas, no final das contas, o Google e outros mecanismos de pesquisa são apenas uma das muitas maneiras de gerar tráfego para seu site.

Inclusive, dependendo do seu público-alvo e da concorrência, o Google pode nem mesmo ser sua melhor fonte de tráfego.

Veja o exemplo do Upworthy.

Este site, que é conhecido por compartilhar vídeos positivos virais, obtém quase 43% de seu tráfego das redes sociais e menos de 19% de pesquisa.

Cada grupo de consumidores usa a internet de uma maneira diferente.

Alguns gostam de obter conteúdo nas redes sociais a partir de amigos ou influenciadores.

Também tem aqueles que dependem de suas newsletters confiáveis ​​para informar qual conteúdo precisam ler.

Outros, usam um mecanismo de busca alternativo como o YouTube ou até mesmo o Facebook.

E, para provar que você não precisa do Google para direcionar tráfego para o seu site, aqui estão seis alternativas que podem ajudar a impulsionar suas visitas.

1. Crie um canal no YouTube

O YouTube tem 1,5 bilhão de usuários ativos por mês, o que o torna a segunda maior plataforma social do mundo.

active users on social platforms 2017

Mais de 30 milhões de usuários se conectam para assistir a um total de 5 bilhões de vídeos todos os dias.

É uma quantidade enorme.

No entanto, esses números ainda não batem de frente com o Google, que processa cerca de 3,5 bilhões de buscas por dia.

Mas como fazer para gerar, com o YouTube, ao menos uma fração do tráfego que você obteria com o Google?

Bom, o legal do YouTube é que ele permite que você compartilhe vídeos.

Embora o Google mostre vídeos do YouTube como parte de suas listas de resultados (até porque o YouTube pertence ao Google), não funciona exatamente da mesma forma.

Para atrair e alcançar esses amantes de vídeos, você precisa criar conteúdo no YouTube – especialmente se estiver fazendo marketing para as gerações mais jovens, visto que o YouTube atinge mais pessoas de 18 a 49 anos do que qualquer canal de TV a cabo nos Estados Unidos.

youtube 18-49 age demographic reaches more than network or broadcast television

O YouTube é o queridinho da Geração Z.

Em uma pesquisa, 50% dos jovens da Geração Z entrevistados disseram à AdWeek que não conseguiriam viver sem o site de compartilhamento.

E eles explicaram o porquê.

Para esses jovens, o YouTube é mais do que apenas um site de compartilhamento de vídeos. Veja todas as coisas que eles costumam procurar nele:

generation z social media survey

Se os jovens da Geração Z continuarem amando os vídeos à medida que envelhecem e começam a tomar novas decisões de compra, isso pode ser um grande divisor de águas para o marketing nos próximos anos.

Postar vídeos no YouTube faz com que você apareça na frente dos clientes que usam o site como um mecanismo de pesquisa tradicional.

Além disso, posicionando links de forma adequada, você pode direcionar esses usuários ao seu site.

Vamos dar uma olhada em como o canal da GoPro no YouTube faz isso.

Sendo um dos canais mais populares do YouTube, a GoPro usa seus vídeos de alta qualidade para mostrar o que seu produto é capaz de fazer.

No entanto, só o fato de postar vídeos não vai impulsionar as vendas.

É por isso, que eles também facilitam o caminho para o cliente ir do YouTube direto para a página do produto.

Aqui, temos uma filmagem feita por usuários com a GoPro HERO6:

GoPro hero6 YouTube video

Logo nas primeiras linhas da descrição, os visualizadores têm um link que os leva diretamente para a página do produto da GoPro HERO6.

Os clientes interessados, ​​podem verificar as características da nova câmera e acessar facilmente o site da GoPro para obter detalhes adicionais ou realizar uma compra.

E essa não é a única maneira pela qual a GoPro direciona tráfego para seu site.

Você também vai encontrar um link para o site e as redes sociais na imagem de capa.

gopro hero image

Isso faz com que os usuários do YouTube que abrem o canal da empresa, tenham uma oportunidade rápida e fácil de acessar seu site.

Você também pode adicionar links para seu site dentro do seu próprio conteúdo de vídeo.

O YouTube ainda oferece recursos que permitem aos usuários criar anúncios em vídeo interativos.

interactive video advertisement options in youtube

Esses recursos são exibidos sobre o próprio vídeo ou no final dele, instigando os espectadores a dar o próximo passo.

Você verá neste gráfico, que as sobreposições de CTAs e as telas finais automáticas, ajudam a direcionar o tráfego para seu site.

Aqui está um exemplo de sobreposição de CTA de um vídeo da HubSpot:

hubspot youtube video has link

O YouTube apresenta o link bem no meio do vídeo. A HubSpot cronometrou perfeitamente o tempo para que o link apareça somente quando a pessoa que está visualizando tiver um absorvido o suficiente do inbound marketing para começar a se sentir seduzida.

Agora, vamos comparar isso a uma tela final automática.

Aqui está um exemplo do The Tonight Show, estrelado por Jimmy Fallon:

jimmy fallon youtube end screen

Isso apresenta ao espectador uma série de opções diferentes ao concluir um vídeo. Também inclui a opção de acessar o site da NBC para baixar o aplicativo do programa.

Quando você for usar qualquer um desses recursos interativos, certifique-se de fornecer um valor claro e direto para a pessoa que está assistindo o seu vídeo.

Além disso, cuide para não encher seu vídeo com dezenas de links que levam para diferentes conteúdos.

Em vez disso, foque em apenas um ou dois links que realmente apoiem o conteúdo do seu vídeo.

2. Comece a conversar nas redes sociais

Se você fizer isso da maneira certa, as redes sociais podem bater de frente com o Google como fonte de tráfego.

De acordo com a Sprout Social, 48% dos millennials e 48% dos jovens da Geração X, seguiram uma marca nas redes sociais no primeiro trimestre de 2017.

which generations are following brands on social

Isso mostra que você tem menos obstáculos para chegar no seu público-alvo.

Além disso, as redes sociais oferecem a você uma oportunidade de engajar e entreter – algo difícil de se fazer em um mecanismo de pesquisa.

Quando os usuários das redes sociais estão navegando por suas timelines e feeds de notícias, eles procuram quase tudo que desperte seu interesse.

Se você conseguir fornecer algo interessante e de alta qualidade, eles certamente clicarão no seu site para saber mais.

No entanto, é importante reconhecer que as redes sociais estão mudando para as marcas.

Em 2017, elas foram responsáveis por 25,6% de todas as visitas aos sites.

social vs search referral traffic

Mas esse número é menor em relação aos anos anteriores.

A partir do mesmo estudo, podemos ver que entre o final de 2013 e o início de 2017, as redes sociais tiveram um desempenho superior às pesquisas para gerar tráfego.

Infelizmente, as mudanças no algoritmo do Facebook levaram a grandes declínios do alcance orgânico na plataforma.

Em comparação com o primeiro semestre de 2017, o Facebook viu uma queda de cerca de 9% nas referências de redes sociais no segundo semestre do ano.

social media referral web traffic

No entanto, a perda de uma rede social é o ganho de outra.

Enquanto o Facebook teve uma grande queda no final de 2017, o Pinterest e o Instagram tiveram saltos bastante significativos.

Sejam quais forem as redes sociais que você escolherá como alvo, procure fornecer informações significativas e valiosas.

Lembre-se de que os usuários das redes sociais estão ali para interagir com seus amigos – não para que alguém lhes venda algo.

Você precisa encontrar maneiras de entreter seu usuário enquanto ele ainda está na plataforma.

E, nisso, o Buzzfeed Tasty é uma grande referência.

buzzfeed tasty facebook video

Em seus posts no Facebook, eles incluem tudo.

Veja só, eles criaram um vídeo para chamar a atenção.

Eles têm mensagens amigáveis ​​que tratam o espectador como um amigo.

Eles incluem não um, mas dois links que podem levar o usuário a comprar ou conferir a receita do vídeo.

E eles fazem tudo isso sem que pareça maçante!

Essa tática realmente fez com que a página Tasty se destacasse no Facebook – que atualmente possui mais de 98 milhões de seguidores!

Para replicar isso, primeiramente conheça o seu público e, então, passe a criar um conteúdo que combine perfeitamente com as suas timelines.

Outra maneira de iniciar uma conversa, é usar as threads do Twitter.

Elas permitem que você compartilhe ideias, dicas e pensamentos que se conectam, respondendo seus próprios tweets – e elas têm o poder de atrair a atenção viral.

Veja só o que aconteceu com a blogueira de viagens Hey Ciara.

No dia 1º de janeiro, ela começou esta thread.

cheap flights twitter thread

Só com esta thread, Ciara ganhou mais de 13.000 novos seguidores no Twitter, 6.000 novos seguidores no Instagram e um aumento de 10 vezes no tráfego de seu blog.

Tópicos como esses, agregam um valor distinto para os seguidores de uma forma relacionável.

Após compartilhar seus segredos, Ciara deixa um link para um post em seu site que contém mais informações.

ciara johnson tweets blog post

Embora o engajamento com o link seja significativamente menor do que com o primeiro post, ele ainda consegue gerar tráfego.

Isso porque a Ciara já estabeleceu autoridade aos olhos de seus seguidores por meio da thread. Eles confiam nela e sabem que ela tem informações relevantes. Só isso, já dá a eles um bom motivo para clicar no link.

Criar um tópico no Twitter normalmente não exige muito esforço. No entanto, você deve estar preparado para manter o ritmo.

É importante que você tenha clareza sobre a direção que vai tomar antes mesmo de começar. Além disso, compartilhe imagens, vídeos, links ou qualquer outra coisa que apoie ​​o seu discurso.

3. Faça parceria com influenciadores

Bom, todos sabemos que existem muitos golpes na internet, e isso faz com que os compradores desconfiem de quem devem comprar.

Pense, se eles nunca ouviram falar de uma empresa, certamente não vão sacar seus cartões de crédito só porque viram um anúncio.

Antes de estarem prontos para comprar, eles precisam confiar em você.

Infelizmente, leva tempo para construir confiança organicamente.

Entretanto, você pode acelerar esse processo trabalhando com influenciadores.

Quase nove em cada dez pessoas afirmam confiar nas recomendações online tanto quanto nas pessoais.

youtubers and online recommendations

O marketing de influência dá ao seu conteúdo um “selo de aprovação” de alguém que seu público já valoriza. Isso torna muito mais rápido o processo de construção de confiança.

Existem duas maneiras principais de fazer contato com os influenciadores.

A primeira, é o caminho mais tradicional. Basicamente, você vai fazer com que os influenciadores compartilhem seus posts patrocinados.

Este é um exemplo de um post patrocinado da Emma Blackery.

emma blackery sponsored tweet

O Serviço Nacional do Cidadão do Reino Unido (NCS – sigla para National Citizen Service) patrocinou o anúncio. Trata-se de um programa que oferece às crianças de 15 a 17 anos uma oportunidade de desenvolvimento profissional.

Ao compartilhar o post, Emma está trazendo mais visibilidade para o NCS e, ao mesmo tempo, atestando sua credibilidade.

Ela também colocou um link para a página inicial da empresa, incentivando seus seguidores a conferirem mais sobre a organização.

Em apenas cinco horas, o post de Emma ganhou mais de 480 curtidas, 38 retweets e 24 comentários.

Comparado ao tanto de curtidas que os posts do próprio NCS recebem, esse tipo de atenção é enorme.

Investir em anúncios pode te dar mais força como marca.

Mas se você é uma pequena empresa ou tem um orçamento de marketing limitado, esse pode não ser o melhor caminho.

E caso não tenha dinheiro para investir em influenciadores, você pode atraí-los gratuitamente ao mencioná-los em seu próprio conteúdo.

Posts como este da Comm100 são uma ótima maneira de se conectar com vários influenciadores ao mesmo tempo.

customer service experts on twitter

Isso não só oferece promoção gratuita, como também te ajuda a criar relacionamentos de longo prazo com influenciadores e especialistas, com os quais você pode querer fazer parcerias no futuro.

Se você optar por usar esse tipo de conteúdo, tenha expectativas realistas.

Nada garante que os influenciadores que você mencionou vão compartilhar seu post, especialmente se eles já tiverem muitos seguidores.

No entanto, você pode entrar em contato com cada um deles para informar que você os referenciou. Isso pode te ajudar a conseguir novos compartilhamentos e aumentar seu tráfego.

Uma maneira de fazer essa referência é indicando uma citação da pessoa.

Neste post do Jitesh Patil, ele apresentou uma citação de Robbie Richards e o marcou no tweet.

jitesh patil tweet

Isso chamou a atenção de Robbie, e ele inclusive retweetou para o seu próprio público.

Esse tipo de divulgação torna mais fácil para o influenciador compartilhar o seu conteúdo. Afinal, ele faz isso com apenas um clique.

Você também pode entrar em contato por mensagem direta. Esta é uma das formas favoritas de fazer networking do Gary Vaynerchuk.

De acordo com Gary, “a chave é conectar primeiro, fornecer valor e, ENTÃO, se a oportunidade certa se apresentar, PERGUNTE.”

This kind of relationship can help you establish long-term relationships with influencers.

4. Aproveite os seus assinantes de email

Há anos vem se discutindo se o email está morrendo ou não.

Muitos profissionais do marketing, preferem usar as redes sociais ou aplicativos em vez do email marketing.

Entretanto, no Relatório de 2017 sobre Consumo de Email realizado pela Adobe, eles descobriram que o email era a forma de contato preferida para 61% dos participantes da pesquisa.

preferred method to contact brands

Na verdade, o email foi o único método de contato que realmente melhorou entre 2016 e 2017.

Mas, além da preferência do usuário, o email marketing tem suas vantagens sobre os outros métodos de contato.

A média da taxa de cliques também é muito mais alta.

Por email, a taxa de cliques é em média 3,42%.

Embora pareça um número baixo, a média da taxa de cliques para anúncios do Facebook é de apenas 0,90%.

Isso significa que há muito mais probabilidade de você obter tráfego de seus assinantes de email, do que de suas redes sociais.

E tudo começa com a personalização.

Aqui está um exemplo de personalização do LinkedIn:

top job picks for you

O LinkedIn usa a localização, o cargo e as qualificações do usuário para sugerir vagas de emprego exclusivas para ele.

Isso é muito mais do que simplesmente alterar o nome no início de uma mensagem. Para obter melhores resultados, você também precisa personalizar o corpo do email.

De acordo com a pesquisa, a personalização do corpo do email tem um efeito significativo nas taxas de abertura e de cliques.

As taxas de abertura são quase 7% mais altas com um corpo de email personalizado, e as taxas de cliques aumentam em mais de 1,3%.

benefits of personalization in email body

Você também pode personalizar o nome do remetente para obter resultados de taxa de cliques ainda maiores.

Veja este exemplo da HubSpot:

personalizing email sender name experiment

Quando eles enviaram uma mensagem com o remetente “Maggie Georgieva, HubSpot”, houve uma taxa de abertura de 0,50% maior e uma taxa de cliques 0,25% mais alta do que quando eles enviaram como “HubSpot”.

Para a HubSpot, isso mostrou que um remetente personalizado gerou 292 cliques a mais.

Para melhorar ainda mais as taxas de cliques, você também precisa otimizar seus emails para dispositivos móveis.

No estudo da Adobe que examinamos acima, podemos ver que os usuários são muito mais propensos a checar seus emails pessoais em um smartphone do que em um desktop ou notebook.

devices used for checking work and personal email

Facilite o retorno de seus assinantes de email ao seu site, seja qual for a tela em que eles estão visualizando sua mensagem.

Prefira usar botões de CTA em vez de links de texto, e deixe suas mensagens curtas e diretas.

Forneça informações suficientes para despertar o interesse dos leitores, mas lembre-se que o seu objetivo final, deve ser sempre levar os assinantes de volta ao seu site.

5. Forneça ajuda em fóruns e sites de perguntas

As pessoas geralmente têm um monte de dúvidas.

E elas não recorrem exclusivamente ao Google para conseguir as respostas.

Muitos usuários, recorrem a fóruns e sites de perguntas.

Participar de conversas em sites como o Reddit ou o Quora, pode te ajudar a atrair pessoas que procuram respostas além das que o Google pode fornecer.

Com mais de 330 milhões de usuários, o Reddit é o quarto site mais visitado nos Estados Unidos.

top four most popular websites in the united states as of may 2018

Embora o Google, o YouTube e o Facebook superem o site em termos de popularidade, o Reddit supera todos eles com base na quantidade média de tempo que os usuários passam no site.

O Reddit pode ser um ótimo lugar para promover seu site. No entanto, você precisa ser estratégico na forma como fará isso.

A maioria dos subreddits tem regras rígidas sobre o que você pode e não pode dizer nos comentários.

E cada subreddit tem um moderador. Então, se você postar o material errado, eles podem deletar sua postagem e possivelmente até banir sua conta.

Os usuários recorrem a fóruns como o Reddit para obter ajuda – não para que alguém tente vender para eles.

Mas isso não significa que você não pode usar o Reddit para gerar tráfego para o seu site.

Um dos melhores meios de se fazer isso de forma efetiva, é abrindo uma sessão de “pergunte-me qualquer coisa”.

Este é um ótimo exemplo da empresa Student Loan Hero:

student loan hero reddit AMA one way to get web traffic

Embora o post promova a empresa, o foco maior está em fornecer aos usuários do Reddit informações valiosas sobre como quitar dívidas.

Ao responder às perguntas, a Student Loan Hero consegue aumentar a confiança dos usuários do Reddit e fazê-los se interessar pela marca.

Eles também encontram maneiras de vincular seu conteúdo e ferramentas ao responder as perguntas.

Veja este exemplo:

student loan hero AMA question and answer

Perceba que a Student Loan Hero não está usando essa plataforma como uma maneira de ficar vomitando anúncios.

Em vez disso, ela está direcionando seu conteúdo para atender às necessidades exclusivas de cada pessoa que faz perguntas.

Se você tentar fazer spam no Reddit, os usuários rapidamente irão perceber e te advertir.

Por outro lado, você pode ter muito sucesso com essa plataforma, se agregar valor para as pessoas.

Jeff Callahan, criador de um dos posts mais bem-sucedidos do Reddit, diz que o sucesso na plataforma começa com um título “anti-clickbait”.

Ele começa o post compartilhando quem ele é e como se relaciona com os outros usuários. Em seguida, ele comunica exatamente o que tem a dizer e por que é confiável o suficiente para fazer isso.

recovering awkward person headline reddit post

Em seguida, ele segue essas mesmas ideias ao longo do post, sempre se relacionando com o usuário e fornecendo dicas ou ideias que ele comprova com sua experiência pessoal.

Se você souber usar com sabedoria, o Reddit pode ser um ótimo lugar para trazer visitantes ao seu site.

Além dele, você também pode usar o Quora, que tem 200 milhões de visitantes únicos mensais, para responder as perguntas do seu público em potencial.

Veja este exemplo de como eu respondi uma pergunta no Quora:

neil patel answers quora question

Da mesma forma que o Reddit, o Quora também permite que você interaja com quem está fazendo perguntas. Tirar as dúvidas das pessoas, ajuda a provar seu valor para elas antes que acessem o seu site.

Isso pode gerar mais tráfego para sua página.

Kevin Lee, fundador do Product Manager HQ, atribui o início e o crescimento da sua empresa ao Quora.

De acordo com seu post sobre como o Quora mudou sua vida, Kevin explica que o site trouxe milhares de novos assinantes para seu blog.

Ele diz que as pessoas inclusive já o reconheceram na rua por suas respostas no Quora.

Se você atua em um nicho de mercado, existem outros fóruns dos quais você pode participar.

Os profissionais de marketing, por exemplo, podem se tornar usuários do Inbound.org, enquanto os advogados, podem usar o Avvo.

6. Use o guest posting a seu favor

O guest posting pode ser uma maneira poderosa de trazer tráfego novo para o seu site.

Cerca de 57% dos blogs de empreendedorismo usam o guest post como parte de sua estratégia de conteúdo.

Inclusive, algumas das grandes marcas, usaram essa tática para fazer suas plataformas decolarem.

O Buffer, por exemplo, usou o guest blogging para aumentar seu site para 100.000 usuários nos primeiros nove meses.

Quando você procurar oportunidades de guest post, lembre-se de buscar sites que estejam dentro do seu nicho, mas que não sejam concorrentes diretos.

Fazer um post no site de um terceiro, coloca seu conteúdo diante de um novo público, levando novos leads à sua página.

Confira este exemplo de um guest post no site Entrepreneur.

why entrepreneurs must follow their calling entrepreneur article

Como você pode ver, Dan Dowling, o autor convidado neste exemplo, colocou links para a sua página do Facebook, conta no Twitter e página inicial do seu site.

Mas fazer guest post em outros sites não é a única maneira de usar essa estratégia para gerar tráfego.

Você também pode apresentar guest posts no seu próprio site.

Isso não só funciona como um respiro para o seu cronograma de conteúdo, como também incentiva os convidados a compartilhar o link da sua página.

Veja este exemplo do ProBlogger.

how to establish your brand on pinterest article

O ProBlogger se beneficia com esse post porque o autor, Larry Alton, vai anunciar que o site publicou um conteúdo dele.

E a cada vez que Larry divulga a sua participação, o ProBlogger recebe uma nova onda de tráfego.

Mas essa não é a única opção.

Você também pode aparecer em podcasts ou webinars para compartilhar sua opinião e experiência.

Aqui está um exemplo do podcast Search Marketing Scoop, da SEMrush, apresentado por David Bain:

search marketing scoop podcast

Nesse episódio, Barry Schwartz, editor de notícias da Search Engine Land, e Richard Fergie, consultor da E-Analytica, se juntam ao podcast para falar sobre pesquisa paga e orgânica.

Esses tipos de parceria normalmente levam mais tempo, mas podem fornecer retornos importantes no final. O bom é que existem ferramentas como o Ubersuggest, que podem economizar tempo em sua busca por oportunidades de guest post.

A primeira coisa que você deve fazer é abrir o Ubersuggest, inserir sua palavra-chave principal e clicar em “buscar”.

Agora, clique em “Ideias de conteúdo”, na barra lateral esquerda.

O que você está vendo aqui, é uma lista com centenas de sites que criaram conteúdo de alta qualidade com a palavra-chave “marketing de conteúdo”.

Além disso, a lista também fornece algumas informações importantes, como o número de backlinks e compartilhamentos, o que te ajuda a saber quais posts têm o melhor engajamento.

A última etapa do processo, é fazer uma lista dos sites que você deseja atingir e iniciar o processo de divulgação. Não há nenhuma garantia de que vai dar totalmente certo, mas quanto mais emails você enviar, mais respostas receberá. Com o tempo, você conseguirá algumas oportunidades de guest post de alto nível. Com isso, você pode gerar tráfego para o seu site e, ao mesmo tempo, criar backlinks.

Conclusião

Você não precisa do Google para gerar tráfego para o seu site.

Claro, ele ajuda.

Mas não deve ser sua única fonte de tráfego.

Na verdade, para conseguir ter mais sucesso, o ideal é possuir várias fontes gerando tráfego para você.

Use essas seis fontes de tráfego como um ponto de partida para diversificar a forma como você atrai novos visitantes.

Preste muita atenção em seus clientes e público-alvo.

Se eles não estão respondendo a uma determinada fonte, nem perca seu tempo com ela.

Ao fornecer o que eles procuram em um canal com o qual já estão engajados, você verá o tráfego fluir para sua página.

Qual dessas fontes de tráfego é melhor para o seu site?

The post O SEO Não é a Única Forma de Gerar Tráfego. Veja Estas 6 Estratégias Alternativas. appeared first on Neil Patel.


O SEO Não é a Única Forma de Gerar Tráfego. Veja Estas 6 Estratégias Alternativas. publicado primeiro em https://neilpatel.com/br/

Quatro Sinais de Alarme Para SEO Com Base em Dados e Como Responder

Existem algumas coisas sobre o seu site que você simplesmente não pode ignorar – penalidades manuais, SEO negativo e coisas assim. Existem outros problemas que também podem surgir. Eles não são tão óbvios, mas são tão prejudiciais quanto.

Neste artigo, vou compartilhar com vocês quatro desses sinais de alarme com base em dados. Quero que você saiba exatamente quais métricas observar, como descobrir se está em perigo e o que deve fazer a respeito.

1. Perda de páginas indexadas

O que é

O algoritmo do Google rastreia seu site e coloca essas páginas em seu vasto índice para serem retornadas nos resultados de pesquisa para consultas relevantes. Como uma cortesia a você, eles informam no Google Search Console (GSC) exatamente quantas páginas do seu site estão no índice.

Se você adiciona conteúdo novo de maneira consistente e mantém um sitemap.xml válido, esse número deve subir. É claro, se você remover certas páginas intencionalmente, esse número vai cair. No entanto, se o número de páginas indexadas cair de repente ou diminuir gradualmente com o tempo, então você tem um problema em mãos.

Por que isso aconteceria? O Google remove páginas do seu índice por várias razões. Às vezes, as páginas simplesmente saem do índice por causa da idade ou falta de visitantes. Isso é normal. Outras vezes, no entanto, o Google penaliza as páginas, ou seja, as desindexa por causa de spam ou backlinks não naturais.

Quando uma página é removida do índice do Google, ela não será retornada nos resultados de pesquisa. Quanto menos páginas você indexar, menos provável que seu site ranqueie para certas palavras-chave.

Onde conseguir os dados

Vá ao Google Search Console → Índice do Google → Status do Índice. Isso mostrará um gráfico do total de páginas indexadas nos últimos doze meses. Certifique-se de deixar a caixa “removido” desmarcada.

A imagem abaixo, mostra um site que sofreu uma grande perda de páginas indexadas. Neste caso, a perda da indexação coincidiu com uma penalidade manual.

index status

O Que Fazer

Se possível, descubra quais páginas podem estar desindexadas. Se você tem um site com poucas páginas, a perda de indexação pode ser bem prejudicial para o tráfego. Se as páginas desindexadas são landing pages, é pior ainda. Você pode descobrir se uma página foi desindexada pesquisando no Google por “site:[URL da sua página].”

google neil testimonial

Neste caso, eu conferi para ver se minha página https://neilpatel.com/consulting/ ainda estava indexada pelo Google. (Felizmente, está).

Em sites maiores com dezenas de milhares de páginas, não é realista pesquisar todas as páginas para ver quais foram desindexadas. No entanto, você ainda pode resolver o problema realizando uma auditoria de backlink.

É uma boa hora para auditar todo o seu perfil de link em busca de links com spam e removê-los. Várias vezes eu vi o Google começar a desindexar páginas e, um mês ou dois depois, dar ao site uma penalidade manual. Você pode impedir essa desindexação total realizando uma auditoria completa, remoção de link e negação.

2. Conteúdo Duplicado

O que é

Conteúdo duplicado – quando seu conteúdo é exibido em vários locais, dentro ou fora do site, pode prejudicar seus rankings e colocá-lo em risco de penalização algorítmica. A falha do conteúdo duplicado, frequentemente, é um descuido na etapa de desenvolvimento de um site (i.e., uso indevido de IDs de sessão ou parâmetros de URL). Outras vezes, o conteúdo duplicado é resultado de scrapers ou distribuição de conteúdo sem uma tag rel = canonical.

Onde conseguir os dados

Existem várias ferramentas que podem ajudá-lo a segmentar e corrigir conteúdo duplicado. A Screaming Frog é uma das minhas favoritas. No entanto, você pode acessar informações sobre conteúdo duplicado facilmente e com precisão pelo GSC.

Vá ao Google Search Console → Aparência da Pesquisa → Melhorias de HTML.

O site abaixo, tem apenas alguns problemas com conteúdo duplicado. Provavelmente, não são suficientes para justificar qualquer perda de tráfego ou penalização muito séria.

3 half shark alligator man

O que fazer

A correção de conteúdo duplicado listado no GSC é muito fácil. Basta ir até as páginas listadas como contendo conteúdo duplicado e alterá-las. 

3. Links perdidos

O que é

Um ótimo perfil de link é a base de um ótimo site. Você não pode ter uma presença forte na web a não ser que tenha muitos links saudáveis apontando para o seu site.

Mas e se esses links começarem a desaparecer? Pode acontecer, e quando ocorrer, você terá um problema em mãos. Links perdidos significam ranking perdido, tráfego perdido e receita perdida.

Embora o link building com spam seja uma relíquia de uma era antiga de SEO, ainda é importante trabalhar duro para criar backlinks de alta qualidade. Você pode faz isso através do marketing de conteúdo e de um guest blogging cuidadoso.

Mas os links não duram para sempre. De acordo com o Internet Live Stats, existem mais de 1.5 bilhões de sites na rede mundial hoje, e menos de 200 milhões deles estão ativos. A realidade da web desaparecida – também conhecida como “churn rate” – significa que você terá links perdidos.

Onde conseguir os dados

Existem várias ferramentas para analisar os seus dados de link. Eu provavelmente já usei todas no mercado – Majestic, Moz, LinkResearchTools, SEMrush, etc. Também desenvolvi ferramentas — Crazy Egg — que ajudam você a entender suas métricas e o comportamento do visitante.

Você pode conseguir contagens de backlink gratuitamente no Ubersuggest.

Comece inserindo sua URL e clicando em “Pesquisar”.

Agora, clique em “Backlinks”, na barra lateral esquerda, para uma visão geral do seu perfil de link.

Para uma lista completa de backlinks, desça a página até encontrar isso:

  • Links totais: Se este número diminui gradualmente ou acentuadamente, isso indica uma perda de links e o potencial de declínio do site. Ação corretiva: Melhorias no marketing de conteúdo.
  • Quem faz mais link: A maioria dos seus links deve vir de outros sites do nicho, blogs, sites da indústria, etc. Se vir uma quantidade alarmante de sites fora do nicho, pornografia, jogos de azar ou spam, você tem um problema. Ação corretiva: Realize uma auditoria do perfil de link.
  • Seu conteúdo com mais links: Links devem apontar para suas landing pages, páginas de conteúdo ou outras páginas importantes. Se você encontrar páginas antigas, irrelevantes ou indesejáveis recebendo links, é um sinal de que você precisa fazer algumas melhorias no seu marketing de conteúdo. Ação corretiva: Auditoria de conteúdo. Segmentar as páginas com mais links para melhorias. Continuar com o marketing de conteúdo.
  • Como seus dados são linkados: Este é o texto âncora usado para criar os links. Se os textos âncoras forem irrelevantes, com spam ou super otimizados, você pode ter um problema. Ação corretiva: Auditoria do perfil de link.

4. Declínio do tráfego orgânico

O que é

Quando seu tráfego orgânico cai, é preciso lidar com o problema o mais rápido possível. Todos os sites enfrentam flutuação, mas se uma flutuação se transforma em tendência, é um sinal de alarme.

Onde conseguir os dados

No Google Analytics, vá até Aquisição → Palavras-chave → Orgânico. Não importa que os resultados específicos não sejam fornecidos. O que importa, é se o seu tráfego orgânico de palavras-chave está alto ou baixo. O gráfico abaixo indica um problema:google warning and penalty

Para este site, o ponto de “aviso” foi o primeiro sintoma de que o site estava com um problema. O seu tráfego orgânico de palavras-chave costuma apresentar altos e baixos, mas houve uma queda repentina mais baixa do que o normal. Esse foi um sinal de aviso. O pico seguinte não voltou aos níveis médios de tráfego anteriores. E então, um mês depois, eles receberam uma penalidade manual.

As penalidades manuais nem sempre vêm com sinais de aviso como esta. Independentemente disso, a mudança no tráfego de palavras-chave, normalmente, indica algum nível de problema – seja um perfil de link com spam, páginas desindexadas, etc.

O que fazer

Da mesma forma que as causas para perda de tráfego orgânico são inúmeras, os tratamentos também. Primeiro, você precisa descobrir exatamente por que o tráfego diminuiu. Faça perguntas e consiga respostas com dados:

  • Quais mudanças ocorreram no perfil de backlink?
  • Quais outras origens de tráfego mudaram?
  • Houve uma mudança algorítmica?

Faça o máximo de perguntas que puder, até conseguir formar uma hipótese – um possível motivo para a queda de tráfego.

Algumas das melhores soluções, também são algumas das mais básicas – reavaliar palavras-chave, melhorar o marketing de conteúdo, remover backlinks tóxicos, etc. Não há respostas prontas para resolver este problema, ele deve ser resolvido caso a caso.

Conclusão

O trabalho do SEO não é apenas otimizar title tags e criar conteúdo rico em palavras-chave. O trabalho do SEO é estudar os números, identificar problemas e desenvolver soluções estratégicas. Se você der uma olhada em cada um dos pontos de dados que descrevi neste artigo, poderá evitar alguns grandes desastres ou simplesmente melhorar seu SEO.

Quais outros sinais de alarme com base em dados o SEO deve observar?


The post Quatro Sinais de Alarme Para SEO Com Base em Dados e Como Responder appeared first on Neil Patel.


Quatro Sinais de Alarme Para SEO Com Base em Dados e Como Responder publicado primeiro em https://neilpatel.com/br/

A Receita do SEO On-Page para um Inbound Marketing Altamente Efetivo

A Receita do SEO On-Page para um Inbound Marketing Altamente Efetivo

Você já parou pra pensar por que tantas empresas ficam obcecadas com a otimização de mecanismos de pesquisa? Bem, é simples… Se você criar uma estratégia de SEO bem pensada desde o primeiro dia, você vai praticamente receber tráfego grátis a partir desse ponto.

Hoje, eu vou te mostrar como configurar o “SEO On-Page” do seu site da maneira certa, de modo que sua estratégia geral de SEO opere com a máxima eficiência durante a vida útil do seu site.

O Que é SEO On-Page?

Em um primeiro momento, o termo “SEO On-Page” soa muito vago para a maioria das pessoas. Eu sei porque foi o que aconteceu comigo quando o ouvi pela primeira vez. No mundo da otimização de mecanismos de pesquisa, existem três atividades principais que podem ajudar seu site a obter mais tráfego e visibilidade nas páginas de resultados dos mecanismos de pesquisa:

  1. Atrair outros sites para linkarem para o seu (o que chamamos de “link building“);
  2. Criar conteúdo (como blog posts, páginas, vídeos e infográficos);
  3. Otimizar o código, o conteúdo, a estrutura, as meta tags e outros elementos “on-page” do seu site, para que sejam “amigáveis ​​aos mecanismos de pesquisa”.

Hoje vamos nos aprofundar no terceiro tópico.

Por Que o SEO On-Page é Importante?

Bom, existem vários motivos. Vamos aos porquês…

Ele aumenta a eficiência do SEO do seu site de forma geral.

Se você gastar toda a sua energia e orçamento fazendo link building, mas ignorar o SEO on-page, terá um retorno menor para a sua “reserva destinada ao SEO”.

Apesar do link building ajudar seu site a subir nos motores de busca, um SEO on-page bem feito pode te fazer converter mais nas páginas de resultados (por ter title tags e meta descriptions devidamente elaboradas) e até mesmo, te ajudar a ganhar essas brigas pela primeira página do Google.

Sem contar que, dessa forma, você também ajuda o seu link building a ser o mais bem-sucedido possível, concorda?

Você pode fazer uma só vez e nunca mais gastar dinheiro com isso.

Em tese, se você criar seu site e implementar os elementos corretos de SEO on-page (como H1, title tags e estrutura do site), você não vai precisar ficar otimizando ele continuamente. À medida que o site cresce, o SEO on-page cresce junto.

Ele irá garantir que seu tráfego seja mais direcionado e relevante.

Este é um benefício muito significativo. Se você tomar uma decisão consciente de prestar atenção em seu SEO on-page, consequentemente, obterá um tráfego mais direcionado e relevante. No entanto, quando você o ignora, acaba recebendo um tráfego de qualidade inferior.

É totalmente white hat (seguro).

Contanto que você não tente enviar spam de palavras-chave (falarei sobre isso mais tarde), a otimização on-page é de longe a forma mais segura de otimização de mecanismos de pesquisa – pois você não corre o risco de ser penalizado pelos motores de busca.

Imagine só, seu site pode ser banido do Google, Yahoo e Bing. A maioria dos sites que foram excluídos, estavam comprando links para tentar burlar o sistema. Se você deseja manter uma estratégia de SEO 100% segura, foque somente no SEO on-page e na criação de conteúdo.

Ele contribui para uma boa usabilidade.

Quando você é cuidadoso com o seu SEO on-page, seu site se torna lógico, tanto para visitantes humanos quanto para os mecanismos de pesquisa. Alguns dos principais fatores para um bom SEO on-page incluem cortar conteúdo duplicado, simplificar as páginas e fazer uma arquitetura de site intuitiva.

Uma boa usabilidade é um ótimo caminho para que as pessoas gostem do seu site, o que, por sua vez, pode trazer backlinks e menções sociais.

Dito isso, vamos à receita…

1. Defina a Palavra-Chave Pela Qual Você Deseja Ser Conhecido

Note que eu não disse “rankeado”.

O SEO é uma estratégia de longo prazo. Portanto, esqueça a a ideia de que você vai rankear da noite para o dia. Em vez disso, foque em sua estratégia de marketing e prepare-se para pesquisar os fundamentos…

Nós precisaremos mergulhar fundo no propósito da sua empresa. Normalmente, as pessoas têm uma ideia da palavra-chave “forte” para a qual desejam rankear, achando que, se conseguirem ficar em primeiro lugar no Google para esse termo, isso irá trazer muito tráfego. Porém, muitas vezes, essa palavra-chave não corresponde ao core business da empresa.

Minha sugestão aqui é, rever a sua proposta única de valor (PUV). Existem palavras-chave em sua PUV que você pode tentar segmentar? Faz sentido usar essas palavras?

Considere o seguinte: se a sua PUV está bem definida e uma pessoa comum consegue entender o que você faz em um segundo, a otimização para essa palavra-chave provavelmente é uma ideia muito boa. 🙂

Além disso, se o termo não for muito popular, fica ainda mais fácil de rankear.

Eu gosto da title tag da página inicial do SEOmoz (que é o principal termo para que eles sejam “conhecidos”):

SEOmoz Title TagEles fazem software de SEO (a PUV deles). Como esse não é um mercado tão grande, acaba sendo muito mais fácil rankear para o termo “software de SEO” em vez de “SEO”.

É claro que você vai querer receber mais tráfego orgânico de mais palavras-chave, mas falaremos disso mais tarde. No entanto, é realmente importante para a sua estratégia geral de SEO, restringir seu foco a um termo central que descreva o que sua empresa faz e usar isso como ponto de partida.

O termo principal é o que você usará na title tag da sua página inicial e na tag H1. Lembre-se de jamais acrescentar mais palavras-chave em qualquer um desses elementos. Há uma razão muito importante para isso…

2. Canibalização de Palavras-Chave e Arquitetura do Site

Aqui, você provavelmente vai precisar de um pedaço de papel ou uma planilha.

Você deve organizar suas páginas por assunto e categorias. Se seu site for pequeno, não precisa se preocupar tanto com as categorias. Na verdade, ter uma arquitetura plana é melhor do que tentar criar categorias para um site com menos de 50 páginas.

Cada página do seu site, deve ter como foco uma palavra-chave específica para a qual você deseja obter tráfego. A maneira mais fácil de explicar isso é:

  • A palavra-chave da sua página inicial deve refletir sua PUV.
  • Todas as outras páginas de produtos ou serviços devem usar palavras-chave que descrevam o assunto do qual elas tratam.
  • Considere usar os nomes dos fundadores como palavras-chave na sua página “sobre”.

Liste todas as páginas possíveis em seu site e veja se a palavra-chave que você deseja segmentar corresponde ao assunto da página.

keyword to webpage match up

Este é um exemplo, com um site hipotético, de como você deve atribuir palavras-chave para cada URL.

Se perceber que está repetindo as mesmas palavras-chave em várias páginas, cuidado… Você pode estar entrando no mundo sombrio da canibalização de palavras-chave. Isso ocorre quando você otimiza várias páginas para a mesma palavra-chave. O problema é que isso soa confuso para os motores de busca e, você acaba forçando-os a escolher qual página é mais importante para aquela palavra-chave específica. Isso enfraquece sua capacidade de receber tráfego para essa palavra-chave.

E por esse motivo, é essencial observar de perto a arquitetura do seu site.

A seguir, vamos ver como otimizar cada uma dessas páginas…

3. Title Tags e Tags H1

O elemento mais importante de qualquer página em termos de SEO é a title tag. Você pode encontrá-la pressionando Ctrl + U (CMD + Option + U / CMD + U no Mac) em seu navegador e procurando por <title> no código:

SEOmoz title tag

A primeira palavra da sua title tag deve ser a palavra-chave que você escolheu para essa página específica. Em seguida, você pode adicionar o nome da sua marca.

Basicamente, você está ajustando a arquitetura do seu site da forma correta.

Se fizer sentido, repita essa palavra-chave na tag H1 no corpo da página. Isso dá um toque a mais de SEO nessa palavra-chave para a qual você está tentando rankear. Lembre-se de usar apenas uma tag H1 por página.

Como resultado, cada URL terá uma palavra-chave atribuída a ela, e a mesma, será usada na title tag e na tag H1. Em nenhum lugar do seu site você deve repetir a mesma palavra-chave em outra title tag ou tag H1.

overall matchup

Aqui estão algumas regras simples que você deve seguir para obter o máximo de sua tag H1:

  • Use apenas uma tag H1 por página.
  • Tente colocar a palavra-chave principal da página na tag H1.
  • Use o texto da tag H1 exclusivamente para cada página (não repita o mesmo texto em outras páginas).

4. Linkagem Interna

Sabia que você pode usar o poder do mecanismo de pesquisa do seu próprio site para impulsionar suas outras páginas? Para isso, basta simplesmente linkar para outras páginas a partir do seu conteúdo.

Por exemplo, se você mencionar um serviço gratuito em uma de suas páginas de serviço, pode inserir um link para a página apropriada. A Wikipédia funciona assim:

Wikipedia internal linking example

Isso parece super óbvio, né? No entanto, muita gente ignora essa tática de SEO. Aposto que, se você navegar pelo seu próprio site agora mesmo, vai encontrar diversos locais onde os links podem ser inseridos.

É fundamental mostrar aos motores de busca as palavras-chave que são vitais para o seu negócio, na forma de texto âncora (essa é a base do “link building”). Portanto, não deixe de configurar seus links internos.

Mas calma, não se iluda achando que você vai “ganhar mais pontos” criando um monte de links internos para tentar aumentar o poder de SEO das suas páginas. Os mecanismos de busca estão de olho no “spam”, e isso pode prejudicar seus esforços. A conclusão que chegamos é: se faz sentido criar um link, então o faça.

5. Meta Descriptions

SEOmoz Meta Description Tag

As meta descriptions não vão te ajudar a rankear nas SERPs. No entanto, elas são INCRIVELMENTE importantes em termos de marketing para mecanismos de busca.

Meta description é o texto que os buscadores usam para descrever seu link ao exibir os resultados. Portanto, o que você escreve lá não deve ser negligenciado. O texto será lido pelas pessoas que estão fazendo pesquisas – por isso, é hora de vestir seu chapéu de copywriter.

Meta Description in SERP

Se você parar para pensar, vai perceber que as pessoas nem sempre escolhem o primeiro resultado da busca no Google. Na verdade, elas os leem e escolhem aquele que mais corresponde às suas intenções de busca.

Portanto, a forma como você apresenta sua meta description é muito importante para a sua taxa de cliques. Minha sugestão é: seja breve, inclua uma CTA, insira sua palavra-chave na descrição e dê um motivo convincente para o usuário clicar em seu link (tente corresponder às suas intenções, sempre que possível).

Não duplique suas meta descriptions. Se você acidentalmente fizer isso, o Google irá considerar como um erro no Search Console.

Quer descobrir se tem meta descriptions duplicadas? Você pode verificar isso facilmente, abrindo o Ubersuggest, colando sua URL e clicando em “buscar”.

Encontre a opção “Auditoria do Site”, na barra lateral esquerda, e clique nela. Você verá o seguinte:

Bom, aqui você pode ver que o site tem uma “ótima” pontuação de SEO on-page. Mas não pare por aí. Role para baixo até ver “Principais Problemas de SEO”.

Se houver alguma meta description duplicada, você a encontrará aqui. Além disso, você também pode ver as páginas que estão sem meta description, o que pode ser igualmente prejudicial para a sua taxa de cliques.

6. Meta Keywords

Meta Keyword Tag

Bom, essa tag de “palavra-chave” não é mais tão importante desde o final dos anos 1990, portanto, não se preocupe em usá-la. Mas, caso você queira, basta adicionar uma palavra-chave. O Google não olha para isso.*

Um grande motivo pelo qual sou contra elas, é que as pessoas que as usam tendem a SEMPRE fazer excesso de palavra-chave em sua meta keyword.

Meta Keyword Spam

Esse é um exemplo de excesso de palavras-chave. Não faça isso.

O que isso mostra, é que você está fazendo spam nos mecanismos de busca. Mas não se esqueça que o Google faz revisões humanas de tempos em tempos, então, não pense que pessoas reais não estão olhando.

* Aparentemente, o Google está passando a recomendar novos sites que incluam uma meta keyword – o que deixa o mundo do SEO perplexo…

7. Tags H2

H2 Heading

As heading tags H2 também têm sua importância no SEO on-page. Embora não sejam tão poderosas quanto as H1, elas também devem ser usadas.

Eu percebo que muitos sites ignoram totalmente as tags H2 e vão direto para as H3. Não faça isso. Use-as como devem ser usadas ​​– em uma divisão lógica para cabeçalhos de página. Lembre-se de que você pode estilizar as tags H2 da maneira que quiser em suas folhas de estilo, portanto, não há necessidade de pular H2s se o estilo for uma preocupação.

A principal diferença entre as tags H1 e H2, em termos de SEO, é que você pode usá-las mais de uma vez. Eu, particularmente, não me preocupo muito em colocar palavras-chave em H2, apenas uso o texto que vem naturalmente e faz sentido para esses subtítulos. A questão é que os mecanismos de busca, terão uma ideia melhor do que a página trata se você se limitar a uma linguagem relevante para os títulos H2.

8. Verifique se há Conteúdo Duplicado

Se o seu site costuma criar URLs diferentes com o mesmo conteúdo, então você tem um problema em mãos.

Veja bem, muita gente usa sistemas de gerenciamento de conteúdo (como WordPress, Drupal e Joomla) para tornar a manutenção e a expansão de seus sites mais fácil. Só que, muitas vezes, esses sistemas acabam criando conteúdo duplicado. Pode ser difícil detectar, mas existem algumas maneiras de farejar isso:

  • Use http://www.xml-sitemaps.com/ e crie um arquivo de sitemap. O sitemap que eles geram para você, pode mostrar todos os tipos de URLs que você nem sabia que existiam. Verifique-as para ter certeza de que não há conteúdo duplicado nelas.
  • O Google Search Console vai te informar sobre o conteúdo duplicado – geralmente por meio de alertas para title tag e meta description duplicadas.

Michael Gray tem um ótimo vídeo que mostra como se prevenir do conteúdo duplicado que o WordPress costuma criar por padrão:

A maneira mais fácil de resolver problemas de conteúdo duplicado é usando uma canonical tag.

canonical meta tag

Basta colocar essa tag no cabeçalho de qualquer página que esteja criando conteúdo duplicado. Na canonical tag, cole a URL da página original – que deve ser a única que será “exposta”. Isso fará com que os buscadores ignorem as páginas com conteúdo duplicado.

Você também pode:

  • Remover fisicamente o conteúdo duplicado do seu site (se possível).
    • Colocar uma meta tag “no index” no cabeçalho do conteúdo duplicado.
    • Bloquear o conteúdo duplicado no arquivo robots.txt do seu site.

9. Problemas de Redirecionamento na Página Inicial

Um dos erros mais clássicos de conteúdo duplicado é quando você duplica o conteúdo da sua página inicial.

“Mas por que raios alguém faria isso? É ridículo!”

É, você pode até pensar assim, mas há uma chance de você mesmo estar fazendo isso sem perceber. Veja como verificar:

Digite o nome do seu domínio na barra de URL, mas digite: http://www.yourdomainname.com

Em seguida, digite: http://yourdomainname.com.

Algum deles voltou para o outro nome de domínio? Se nenhum dos dois for “redirecionado”, você está cometendo o grande pecado do conteúdo duplicado. Basicamente, você tem dois domínios com o mesmo conteúdo da página inicial.

E ainda pode haver um terceiro (ou, se preferir, um link triplicado): http://yourdomainname.com/index.php

E um quarto! http://www.yourdomainname.com/index.php

(Obviamente, se o seu site não estiver rodando em php, a extensão do arquivo de índice dependerá da tecnologia que você está usando: .html, .php, .asp, .cfm).

O que você precisa fazer, é usar o Redirect 301 para apontar todas essas variações possíveis para a URL da página inicial que você deseja.

Existe uma maneira fácil de corrigir isso no Search Console. Abra as configurações e, na seção “domínio preferido”, você pode informar ao Google se prefere que seu site seja mostrado com o “www” ou sem ele.

preferred domain

Mesmo que você defina o domínio de sua preferência no Google Search Console, talvez queira corrigir esse problema de qualquer maneira. Aqui, se faz necessário um bom trabalho de webmaster e seu problema está resolvido.

Em seguida, você precisa decidir qual variação da URL da sua página inicial deseja promover. A maioria das pessoas escolhe a versão sem o “www”, por ser mais curta, menos redundante e mais apresentável.

É importante escolher um, porque à medida que você promover seu nome de domínio (seja em sua assinatura de email, links de guest post, diretórios, etc.), as pessoas começarão a linkar para aquele que você promove mais. Como os redirecionamentos 301 preservam 90% do seu link juice, o ideal, é que as pessoas apontem para a URL correta que NÃO redireciona para manter esses outros 10%.

10. Palavras-Chave em Negrito

Colocar sua palavra-chave em negrito nas páginas não faz tanta diferença no SEO. Não há muito o que falar sobre essa dica. Apenas lembre-se de:

  • Colocar a palavra-chave em negrito apenas uma vez (e não sempre que ela aparecer na página)
  • Focar somente em uma palavra-chave. Não faça isso em várias palavras.

11. O Atributo Nofollow

nofollow attribute

Nofollow é um atributo que você pode colocar em seu link âncora que diz ao Google para não seguir para a página cujo link está apontando. Lembre-se, sempre que você linkar para outra página, esse link de referência está dando à URL do destinatário um pequeno impulso de SEO – isso é o que nós, profissionais do SEO, chamamos de “link juice”.

Sim, em alguns casos, você pode NÃO querer fornecer a URL de um destinatário, por motivos como:

  • Às vezes, usar muito o link juice, pode diluir o poder efetivo da página de referência.
  • Direcionar links para sites ou páginas com spam, pode prejudicar a credibilidade do seu próprio site.

Sendo assim, você pode pensar no atributo nofollow como um plug de “link juice”.

Anos atrás, os profissionais de SEO eram super obcecados em aprender o poder do atributo nofollow. Já vi, inclusive, pessoas criarem planilhas para calcular o poder do link juice.

A intenção original desse atributo, era evitar spam nos comentários. Mas não demorou muito para que os profissionais de SEO, percebessem que poderiam usar tags nofollow para “configurar” onde o link juice poderia fluir pelo site.

Eu não aconselho toda essa obsessão com nofollows. Basta olhar o exemplo da Wikipédia. Ninguém lá fica tentando usar nofollows para melhorar o SEO do site, contudo, ele ocupa o primeiro lugar para mais termos do que qualquer outro site no planeta.

Normalmente, faz sentido você incluir nofollow em sua política de privacidade e nas páginas jurídicas. Fora isso, se você não quiser que o Google veja suas páginas, basta colocá-las no arquivo robots.txt.

O único lugar em que eu realmente recomendo usar o atributo nofollow, é em suas seções de comentários. Você não vai querer que encham seu site de spam com links para cassinos online e outras partes decadentes da internet.

12. Alt Tags de Imagem

an alt tag

Tudo o que essa tag faz, é dizer aos buscadores do que se tratam as imagens (já que eles não têm olhos). Isso não somente os ajuda a entender sobre o que é a sua página, como também os informa que você pode ter um conteúdo melhor e mais rico do que apenas uma página em texto simples.

Essa tag pode ser muito poderosa para fins de SEO, dependendo do mercado em que você atua. Se você possui um ecommerce, deve prestar muita atenção nessa tag.

Basta inserir em suas alt tags o texto que descreve o que é a imagem. Tente evitar a duplicação de conteúdo. Se você tem um ecommerce, descreva a imagem e também adicione números de modelo.

13. Redirecionamento 301

Os redirecionamentos 301 são muito úteis para se ter em seu arsenal de SEO. Na verdade, é fundamental que você os conheça. Eles permitem que você diga aos mecanismos de pesquisa, para onde o conteúdo antigo foi movido.

A razão pela qual isso é tão sério, é porque em algum momento você pode fazer uma reformulação do site e sua estrutura de links pode mudar. Portanto, todo o seu conteúdo “antigo” estará localizado em outro lugar. Os redirecionamentos 301 permitem que você informe facilmente aos buscadores, como o Google, onde o conteúdo pode ser encontrado.

Caso contrário, o Google encontrará suas páginas “404 Not Found”!

Há um segundo motivo para usar redirecionamentos 301. Com o tempo, outros sites serão gradualmente linkados ao seu conteúdo. Se você mover seu conteúdo e não configurar redirecionamentos 301, quando as pessoas clicarem nesses links, elas também encontrarão páginas de erro 404.

E isso me leva à minha super dica final de SEO on-page…

Não Deixe que Joguem Fora o seu Conteúdo Antigo

Eu sei que pode parecer total amadorismo, mas pasme: em organizações maiores, isso acontece o tempo todo. Alguém decide que é hora de fazer um update no site, reformulando-o com um novo visual e conteúdo atualizado.

As intenções são boas e eu certamente recomendo fazer updates e reformulações de sites – mas por favor, não jogue fora esse conteúdo fiel que tem te trazido bons resultados ano após ano!

Pense no seguinte: uma das melhores coisas sobre criar conteúdo (especialmente conteúdo textual) é que, uma vez criado e colocado em seu site, ele é essencialmente uma peça de marketing, que pode:

  • Ajudar a marca
  • Gerar leads
  • Aumentar o número de assinantes
  • Vender produtos

PARA SEMPRE!

Você paga uma vez (o custo da criação de conteúdo) – e nunca mais terá que “gastar” dinheiro com isso novamente. A menos que seja Pay-Per-Click, em que cada clique representa uma determinada quantia de dinheiro.

Suas páginas têm um ROI teórico infinito ao longo do tempo. E desde que o Google se tornou o principal mecanismo de busca, isso é verdade até hoje. (Claro, se você fechar uma loja ou for penalizado pelos buscadores, esse ROI desaparecerá).

Portanto, crie um sistema para garantir que ninguém vai jogar o seu conteúdo no lixo. Pense que um dia, uma nova equipe de web designers pode ser chamada, criar um novo site e destruir o antigo – agora imagine você descobrindo que todo o seu conteúdo antigo (e tráfego) se foi. Todo esse trabalho indo pelo ralo. 🙁

Existem centenas de ferramentas de SEO que podem te ajudar na auditoria do seu site. Essas ferramentas, irão verificar seu site com base em um checklist, e fornecerão recomendações sobre o que deve ser corrigido. Você pode até desenvolver seu próprio auditor de site automatizado, com APIs como DataForSEO, SEMrush e Raven.

Um update ou reformulação de site, é um momento crítico para você saber como usar os redirecionamentos 301. Certifique-se de que todo o conteúdo antigo seja redirecionado corretamente para os novos locais. Felizmente, você pode manter a estrutura da URL original no lugar e preservar o conteúdo antigo, simplesmente aplicando o novo design ao modelo do seu site.

Conclusão

No mundo ideal, o SEO on-page deve ser configurado no momento em que você está projetando seu site. No entanto, geralmente, é muito mais fácil de implementá-lo ao longo da criação do site.

Então, vá em frente e faça uma auditoria do seu SEO on-page. Isso pode te ajudar a encontrar as opções mais fáceis e que te trarão os melhores resultados!

Tem dúvidas? Sugestões? Observações? Sinta-se à vontade para deixar um comentário abaixo…

Sobre o autor: Sean Work é o ex-diretor de marketing da KISSmetrics. Você pode segui-lo no twitter @seanvwork.

The post A Receita do SEO On-Page para um Inbound Marketing Altamente Efetivo appeared first on Neil Patel.


A Receita do SEO On-Page para um Inbound Marketing Altamente Efetivo publicado primeiro em https://neilpatel.com/br/